Tudo na vida tem salvação. Basta você querer.

Já expus aqui minha indignação sobre algumas pessoas que se dizem profissionais. Desconfio que eles não saibam o significado da palavra e seus antônimos:

“Aquele que desempenha o seu trabalho com seriedade, rigor,competência” (Fonte: Infopedia.pt)

“Especialista em alguma área, técnico, perito.” (Fonte: dicionarioinformal.com.br)

Já o profissionalismo:

“Profissionalismo é o conjunto de características que compõe um profissional, formado por suas competências, responsabilidades e ética, no que rege o seu campo de trabalho.” (Fonte: significados.com.br)

E o antônimo:

“Amador, diletante, curioso, aficionado”

O amador:

“Alguém exerce determinada atividade por puro gosto, sem remuneração. Ou alguém que exerce determinada atividade sem a pretensão de atuar profissionalmente naquilo.” (Fonte: dicionarioinformal.com.br)

Pois bem…a minha decepção com determinados profissionais se deve ao fato de que eles assim se denominam; nunca apresentam o cartão de visita de amadores. Esta situação me dá a falsa impressão de que está encaminhado para pessoa certa, que será resolvido e de que o resultado atenderá suas expectativas.

Expectativa essa é de que o equipamento desempenhe o seu papel e não sejam necessários caminhos alternativos nem mandingas para ter o minimo de funcionamento decente. Ao longo de anos tenho adquirido conhecimento e também paciência, sendo até um pouco resiliente aos problemas. Não propriamente um otário, mas me finjo ser na maioria das vezes.

Por outro lado não estou totalmente livre da Síndrome de Poliana, pois faço alguns pequenos testes para saber se a pessoa é um PROFISSIONAL ou amador de carteira. Se este apresentar o mínimo que espero, encaminho minhas obras para que sejam tocadas como espero. Não faço grandes planos com algo que seja barato ou que tenha seu estado geral comprometido. Tive problemas com alguns técnicos de eletrônica que garantiam fazer o serviço conforme normas, uso de componentes adequados, prazo exequível e preço justo. Mas sistematicamente eles foram de decepcionando depois do 2º serviço, ou seja, depois da lua-de-mel.

Eu gosto da proximidade destas pessoas pois quero sempre auxiliar quando posso, na medida que posso. Crio um vínculo (afetivo inclusive) pois tenho a sensação que esta pessoa fará algo de bom para mim, que o resultado seja adequado as minhas necessidades e que o produto de seu esforço possa ser desfrutado quando mais precisar. Mas havia um porém…

Talvez minha proximidade tenha estragado a relação profissional que existia e meu grau de exigência diminuía gradativamente com o reforço na relação de amizade. Provavelmente eu deixava de cobrar qualidade no resultado final pois não queria “estragar” a amizade ali feita. E esse erro cometi várias vezes. Por causa das constantes decepções, muitos projetos ficaram engavetados pois não encontrava alguém que me passasse confiança e me desse licença para reaproximação do ser humano e do profissional. Penso eu que um enganador não engana por muito tempo. Pode fazê-lo a muitas pessoas mas não repete o mesmo comportamento pois há um aprendizado natural e brevemente uma perda de clientela.

Hoje encontrei o ponto de equilíbrio porque o técnico que me atende compreende o significado da palavra profissional.

E eu levei 15 anos para colocar esse aparelho nas mãos da pessoa certa, pois por 1 ano ficou nas mãos da pessoa errada (por sorte ele não fez nada além de acumular poeira). O que descobri depois de retornar às minhas mão é um aparelho que toca muito bem e me trouxe excelente impressão após horas e horas tocando musica em casa, sem fadiga alguma. Depois de fazer tantos elogios via Whatsapp, o mágico sem cartola André Quintal lacrou: “acho que você vai desistir de vender esse Quasar!”

Então? Profissional “raiz” mostra como chega, o que faz e como termina sem medo algum (Vim, vi e venci).

Pepinos aparecem sempre!

Quando a pessoa é caprichosa, se incomoda com algumas coisas e não se refuta a melhorar!

It´s aliiiive!

Acreditam que tenha esperado tanto tempo para isso?

Pois bem…agora em casa, resta somente repintar a tampa do gabinete e trocar os parafusos. O capricho tem de continuar…

Montando cabos de caixa

Tirando os mitos criados pelos “audiotas”, é sempre bom fazer uso de bons componentes, boas instalações para ter um bom resultado. Falhas de componentes por baixa qualidade (acho que já falei sobre isso em algum lugar…) te trazem mais problemas e, no fim, você se decepcionar e joga a toalha.

A montagem dos cabos de caixa eram uma pendência pessoal e, como o tricô para as idosas, essa montagem serviu como terapia.

Aliás, arrumei várias terapias…

Encontro Caverna Vintage | Fevereiro 2018

Eu já reclamei inúmeras vezes o drama de ficar longe de sua casa, de suas coisas e de seus pares. Mas quando as coisas acontecem a seu favor, nada melhor do que expor com a dose certa de tinta, sem parecer um comercial de margarina.

O Caverna Vintage é um grupo de Facebook e Whastapp de amantes de vintage, similar ao CCVTD (Clube Carioca de Vinil e Toca Discos) que também participei de alguns encontros e ainda contribuo no HT Forum. O nome “Cavernas 194” é o nome original do grupo que se reuniu em uma loja na Tijuca – Rio de Janeiro até o ano passado. Como ocorreram algumas questões internas ao grupo, o mesmo foi redenominado.

Fraternidade ou Confraria seria o nome correto a essa turma. Assistir ao video torna mais simples o entendimento do que escrevi acima.