Pioneer SX-838: primeiras impressões

Dando continuidade ao post do Sansui 661 (https://v8andvintage.wordpress.com/2017/09/03/sansui-661-primeiras-impressoes/), faço o mesmo com o Pioneer SX-838.

Inicialmente percebo que falta o vidro do painel, como provável causa um tombo digno de cinema. A evidência se dá pela posição do eixo do sintonizador, nitidamente fora de prumo mas ainda operante. Para que o serviço de reprodução possa ser feito, é necessário que o variável (ou até mesmo o chassi) seja desempenado, pois preciso retirar as medidas precisas a fim de reproduzir perfeitamente nova peça. O corte deve ser exato para que os encaixes aconteçam.

Fato também é de que o potenciômetro dos agudos está com o eixo partido e sem o knob. Da parte eletrônica, não há problema pois temos uma infinidade de modelos disponíveis; o knob é um pouco mais difícil, mas já achei à venda na internet.

O video abaixo comprova o que falo:

Anúncios

Não pude resistir: história sobre história.

No horário do meu almoço volto cedo do restaurante para assistir alguns vídeos selecionados no youtube, onde estou inscrito em vários canais. Num um deles, HAGERTY, tenho o deleite de acompanhar e rever quando posso os episódios do “The Barn Find Hunter”, que busca por carros antigos em todo território americano, quase sempre com sua Ford Woodie.

O problema é que no episódio #10, o host dirige pelo setor decadente de Detroit (Michigan) donde eu consegui tirar um still (foto) de onde ele passava no momento da abertura. Provável base fabril da Packard, onde um pórtico atravessa a rua e ostenta seu nome e um relógio que há muito não é útil. A imagem dura alguns poucos segundos mas simboliza a decadência do lugar e a beleza que resiste ao tempo.

Aliás cabe aqui contar uma breve história…

Estudei na Universidade Santa Úrsula com algumas pessoas que ainda fazem parte de meu ciclo de amizades. Dentre eles alguns veteranos que infelizmente perdi o contato. Nicolas Jancson, nosso colega da época, Engenheiro e Mecânico de mão cheia, habilidosíssimo e pessoa sem limites para criatividade era sempre um bom papo. Por 2 oportunidades ele viajou aos EUA para estagiar e lembro de uma das vezes, numa forjaria.

Quando ele retornava ao Brasil todos nós ficávamos ouvindo as histórias muito interessantes, recheadas de humor e com uma clareza de ambiência que poucos sabem relatar. Durante uma dessas conversas ele havia contado que, como trabalhou em Michigan, teve a oportunidade de visitar a parte antiga de Detroit. Relatou com riqueza de detalhes o estado dos prédios e o total abandono do lugar. Estarrecido perguntei o motivo disso e a resposta foi clara: é muito caro reformar; melhor construir tudo novo do jeito que precisamos.

Vendo esse video abaixo tenho a certeza de que ele vivenciou o que contou, portanto não era um mentiroso. De um total até agora de 23 episódios, o de número 10 ao qual me refiro está aqui embaixo.

Sansui 661: primeiras impressões

Após ter recebido o receiver enviado pelo Osvaldo, conforme narrado no post https://v8andvintage.wordpress.com/2017/08/28/unboxing-receiver-ou-como-e-bom-ter-amigos/ ,  decidi ligar o aparelho na tomada para ver o que acontecia. A minha tentativa de saber se as saídas estavam funcionando, queimadas ou em curto, utilizando um pequeno altofalante parece não ter funcionado.

O interior do aparelho está muito sujo, provavelmente pela falta das grelhas do bonnet, permitindo entrada até de pena de passarinho. Já não é o primeiro aparelho que pego com esse problema: há um Philips AH749 doado pelo Guto Pereira que apresenta o mesmo problema. São frágeis e sofrem muito quando colocam alguma coisa pesada sobre. Neste Sansui penso em reproduzir as tiras de madeira, diferente do receiver holandês onde quero personalizar completamente o conjunto.

Segue abaixo o video que gravei na cozinha de casa para mostrar como é seu estado geral.

Unboxing receiver (ou como é bom ter amigos)

A sua definição de amizade muda ao longo do tempo. Algumas pessoas não saem do seu coração seja pela distância, seja pela discussão, seja pelo destino. Outras saem pela traição: uma vez você foi tolerante, hoje não é mais. Pode ser o contrários também, se o seu coração amolecer com o tempo.

Mas por mais que você se vacine, se desaponte ou se canse, ainda assim é possível ser surpreendido. Duvido que você já não tenha testado a sua lealdade com alguém e não tenha sido testado. Já fiz por insegurança e não faço mais. Cansa muito. Promove alternâncias de humor e essa instabilidade não te trás beneficio algum. De alguma forma você vai se afeiçoando com algumas pessoas e se surpreende como o retorno é maior do que o esperado.

Tenho amigos em que se estiver passando por aperto eles largam tudo para me ajudar. Não importa a hora. Felizmente.

Hoje não espero muito das pessoas, percebendo que as obrigações de/para amizade se enfraqueceram junto com os laços. A maioria trato como “colegas”, “conhecidos” ou “semi-amigos” (como falou Leandro Karnal). Espero sim contar com meus parentes e minha esposa, com quem fiz meus votos fazem 11 anos. Não espero mais que ninguém me ligue, me visite nem lembre do meu aniversário. Apesar do Facebook, LinkedIn e Skype avisarem das datas de suas conexões, o mecanicismo dos aplicativos induzem que você não foi esquecido.

Durante 1 ano precisei viajar semanalmente à SP com a finalidade de visitar fornecedores, auditando ou acompanhando testes. Piracicaba, Sorocaba, Jundiaí e São Paulo foram os destinos mais frequentes, onde pude conhecer pessoas, lugares e negócios onde me trouxeram uma leveza e um prazer ímpar. Em cada canto pude ter o convívio com pessoas abertas, fechadas, desconfiadas, falsas, de todas as formas e tamanhos. E daí não bastou tê-los somente no catalogo telefônico do celular nem do whastapp, pois alguns foram além do mero convívio profissional.

E algumas dificuldades também fazem com que os laços sejam estreitados. Trabalhar até tarde, pedir e trocar favores te levam naturalmente ao estreitamento de laços. Mas o destino também não permitiu que pudesse me aproximar de pessoas respeitadas e amadas, como o falecido Rui Fernando Costa, lamento exposto em meu post http://wp.me/p134sV-1sO .

O camarada na foto acima ao meu lado se chama Osvaldo Amaral, técnico mecânico e foi, de uma certa forma, meu fiel escudeiro. Residente em Jundiaí, nos momentos vagos conversamos muito sobre tudo: do repelente de mosquitos até das decepções profissionais/afetivas. Em uma dessas vezes ele me contou uma historinha que reproduzo com os devidos ajustes:

“Eu tive um gerente na Voith que em um determinado momento do dia me chamou à sala. Na conversa o mesmo me chamou a atenção devido a um erro que eu havia cometido numa das etapas do processo fabril.  Assim o fez (admoestar) de uma forma tão amável e doce que ao sair de sua sala pensei comigo mesmo: acho que ele comeu meu toco…”

E Osvaldo disse que eu tinha também esse dom. Definitivamente eu não levanto a voz e não bato boca. Tento levar ao convencimento com meus argumentos para no fim provar que estou certo.

Mas eu também erro e sei pedir desculpas.

Por conta desta amizade, um lado um Engenheiro de 43 anos que nora no RJ e um técnico mais velho que mora em SP, frutificou o acervo na minha coleção de receiveres. Ele se esforçou em me enviar embalado 2 receiveres vintage, que por sorte tais modelos não faziam parte da minha coleção. Considerando ambos os aparelhos e o que espero da minha coleção para daqui em diante, são 2 excelentes aquisições. Não sei como a coluna cervical do Osvaldo não criou problemas ao carregá-los, pois o Pioneer SX-838 pesa ao menos 15Kg e o Sansui 661 fica proximo de 12Kg. Bem embalados e com as proteções obrigatórias contra nosso serviço dos Correios, ambas chegaram intactas.

Mas intacta, digo, por conta do transporte. Até agora os aparelhos sofreram nas mãos dos donos negligentes. É só assistir para comprovar.

E um post como este não se escreve de uma única vez. As palavras aparecem e somem com a mesma velocidade. Não costumo a me arrepender do que escrevo e falo, pois penso um bocado antes de sair qualquer letra e sei a quem uma palavra mal encaixada pode magoar.

O meu maior conflito hoje é não ter ferramentas ou meios acessíveis para ajudar as pessoas que estimo. Minha memória prodigiosa para guardar faces e fatos não me permite esquecê-los. Só não estou deles próximo pra dizer isso.

Postagens todas as segundas-feiras

É isso mesmo…todas as segundas-feiras farei postagens sobre carros, motos, som e antiguidades em geral. Sempre que possível terá também videos produzidos por mim e carregados no youtube.

Enquanto isso vamos desfrutando do “eye-candy”.

 

 

 

Pioneer SX-626, parte 1: Etapas da restauração eletrônica.

Não queria ficar mostrando etapa por etapa do processo de restauração desse Receiver Pioneer. As pessoas que leriam meu blog ficariam perdidas e o fio da meada seria cortado. Aqui decidi colocar todas as evidências que juntamos nestes 90 dias.

Em inglês, as formas de recuperação são divididas em 3, com suas particularidades:

  • Repair: troca dos componentes somente pondo para funcionar;
  • Refurbishing: troca dos componentes tentando obedecer a originalidade com componentes originais;
  • Overhauling: troca dos componentes por outros mais modernos, não se importando muito com a originalidade.

André Quintal está no comando da operação, sendo meticuloso como gostaria que fosse. Até o momento fui atendido na maioria das vezes por profissionais que colocavam o aparelho para funcionar mas sempre tinham um “porque…” que eu acabava aceitando. Igual ao Tonhão (Antonio Carlos Marques), Quintal dá satisfação das etapas que se passam sobre sua bancada. Não é à toa uma recomendação profissional do Carlos Mergulhão.

Não discuti com ele preço. Acho muito chato esse negócio de negociar o preço da profissão dos outros. Se um dia me dissessem que ganho um salário alto demais, rebateria dizendo que tenho uma responsabilidade técnica sobre meus ombros. O custo de um profissional é menor do que de um incompetente.

O aparelho será mostrado em seu pleno funcionamento em breve. Farei um vídeo mais elaborado para que não seja perdida a grandiosidade do trabalho que foi realizado no aparelho, nem a beleza do equipamento de brilho antes apagado. Nada será deixado de lado; nem os arranhões.

Aqui fiz a inserção dos videos que ele mesmo postou no youtube e me deu autorização para divulgar; até porque foi o mesmo quem carregou os arquivos na rede social. Está organizado cronologicamente primeiro com os videos enviador por whataspp e depois aqueles que ele divulgava no youtube. O aparelho participou ao menos de uma LIVE que ele fez, mas talvez seja extenso demais e pouco útil divulgá-lo aqui.

Um lembrete: tudo que foi feito até agora resume-se à eletrônica e não há qualquer intervenção cosmética neste aparelho. Dependendo do trabalho, pode-se consumir 1 ano inteiro de suas horas vagas, de descanso e diversão com a família.

 

Para quem não tem paciência em esperar e quer tudo perfeito, nem comece.

A diferença entre os 2 capacitores é impressionante

Você ouve rádio FM ou AM? Se o cordão do dial arrebentar você vai ficar com uma vontade incontrolável de ouvir notícias.

Dá gosto de ver, não é?

 

Shopping hifi e hiend em Singapura [VIDEO]

Eu já havia postado minhas impressões sobre o Shopping Adelphi em Singapura no link https://v8andvintage.wordpress.com/2014/10/01/shopping-de-hi-fi-e-hi-end-em-singapura , mas não havia carregado o video que havia feito. Talvez por receio, lugar onde tudo é proibido dentro de uma democracia parlamentarista, o audio é baixo e câmera discreta.

O choque continua o mesmo. Continuo babando por aqui. A concentração de lojas com produtos incríveis é fora do comum. Os preço são equivalentes aos dos EUA, mas não tenho notícias de um shopping dedicado ao tema.

No Japão há prédios temáticos, com lojas de vinil em um andar, aparelhos em outros…mas nada tão grande como esse.