Pesquisando motores antigos (parte 3)

Sistemas de admissão e novos componentes:

De forma alguma estou aqui postando uma receita estudada na teoria fazendo propaganda dos componentes e dispositivos encontrados. Se há algo que já está estabelecido no mercado é a qualidade e variedade de peças disponíveis no mercado, como a Holley, Edelbock, Manley, Mildon, etc… Portanto, o que postarei aqui não é “jabá” de nenhuma marca.

Como já falado do sistema de alimentação, a injeção eletrônica e a escolha correta dos componentes seria a saída mais prática e de melhor resultado. O carburador tem suas limitações, considerando ainda um modelo antigo e usado, mal dimensionado e mal projetado. Se há um principal culpado pelo fraco desempenho e reclamação dos dono, esse é o sistema de alimentação.

Como foi relatado no primeiro post, temos 2 opções:

i. Corpo de borboleta simples:

corpo simples jenvey

O corpos de borboleta simples será adotado na única possibilidade de não termos disponível o cabeçote sem coletor. Esta versão é rara e vale ouro nos dias de hoje.

Quanto aos bicos por bancada, as diversas marcas que existem no mercado aumentarão o leque de opções e o preço pode ser o fator mais relevante. Mas, conforme o fornecedor do corpo simples pode oferecer, também é possível adotar o bico simples anexo ao corpo. Neste caso parte do problema continua existindo: os cilindros 3 e 4 tem mistura rica, 1 e 6 tem mistura pobre. Se esse é exatamente que você queria evitar, por quê insistir no erro?

ii. Corpo de borboleta dupla:

corpo duplo jenvey

A melhor opção, sem dúvida. Mais admissão, melhor controle, melhor tudo. Bicos individuais, injeção sequenciada, sensores MAF individuais, mais parâmetros e melhor queima.

Consequência? Mais economia e potência.

Sistema de arrefecimento:

radiador champion

Esse é fácil: trocar por um radiador mais moderno.

Ignição:

No mercado existem 2 opções que podem ser adotadas:

i. Distribuidor Hall:

kit distribuidor

Nada de diferente do que você já conhece: um novo distribuidor eletrônico com adoção e uma bobina mais potente. É relatado por vários usuários que a instalação é simples e o resultado satisfatório. Mas não há notáveis melhorias na performance do motor, somente consumo e partidas mais rápidas.

ii.       Roda fônica:

kit igniflex

Existem kits de adaptação para esse motor, como o Igniflex, que já vem completo para montagem e com manual de usuário. Mas, se você decidiu usar um módulo programável de injeção, como o FuelTech FT300, você utilizará somente a roda, sensor e chicote e bobinas. O controle e as curvas de avanço ficarão por conta do módulo.

modulo fT300

Sistema de exaustão:

Nada de novo, de novo. Existem coletores de escape que podem ser confeccionados sob medida, já prevendo a instalação da sonda wideband. É só procurar.

magnaflow

Na outra extremidade, escolha um Flowmaster. Você vai gostar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s