Parker 21

Algumas oportunidades não podem ser desperdiçadas. Considerando a oferta e disponibilidade de algumas canetas, você não pode esperar passar outro “cavalo arriado”.

Parker 21 green-01

A Parker 21 do post foi pega numa oportunidade única. Rodando pelas feiras da vida, entrei num antiquário (com mais lixo do que antiguidade) e perguntei por canetas. O vendedor me mostrou uma caixa com várias delas e, a mais interessante era essa.

Com a tampa perfeita, faltava o corpo. Seu cap verde indicava ser uma 21, somado o fato dela estar trincada como de costume nesse modelo. Custando R$10,00 o modelo foi arrematado sem cerimônia.

Agora vocês entendem o que digo? Essa caneta é muito popular e é possível ainda achar sobressalente e até mesmo algumas canetas inteiras em excelente estado de conservação. Nunca fiz questão de comprar uma Parker devido a facilidade; prefiro ir nas mais difíceis primeiro e depois nas mais comuns.

A 21 não é anterior à 51 nem 61, se você pensar que todo modelo numerado segue uma sequencia cronológica; é um modelo simplificado da 51, que por consequência é mais barato. Seu corpo de plástico apresenta trincas com razoável facilidade, diferente da sua progenitora.

Parker 21 green-02

Existem os modelos mais raros, com tampa e corpo dourado, custando um valor acima do que realmente merecem valer. Não vejo problema algum em pedir o preço que quiser. Continuo achando que, se eu não quero me ofender, não devo fazer determinadas perguntas.

Após um tempo pesquisando e esperando pela oportunidade, levei o exemplar até o amigo das Canetas (Avenida rio Branco 168/610, Centro – Rio de Janeiro). Chegando na loja me surpreendi com a quantidade de itens disponíveis, tanto canetas como isqueiros e cachimbos. Na internet, através do seu blog (HTTP://oamigodascanetas.blogspot.com) o acervo mostrado é pequeno comparado com o que há realmente na loja/oficina.

Perguntei se era possível arrumar um novo corpo da caneta. “Seu” Josias disse que era possível, mas com o cap trincado não daria certo pois a tinta ia sujar completamente minhas mãos. Se tivesse tudo, aprovaria o orçamento. Dito e feito! O conjunto completo foi trocado por um exemplar que parece saído da fábrica.

Parker 21 green-03

Ao usar, percebi que não era tão macia como a Parker 51. Josias fez um pequeno polimento na ponta da pena que melhorou consideravelmente. Macia e escrita fina, ainda é mais dura que as Sheaffer Triumph (as prediletas). Carregada com a tinta da S.T Dupont, funciona de forma bem regular, sem espalhamentos nem faltas, e o seu cheiro é imperceptível.

Feliz com ela? Sim, com estou com as outras da coleção. Se faço questão de usar? Sim, como as outras da coleção. Se quero vender após uma proposta? Duvido que alguém faça uma que compense.

Essa é uma daquelas que não podem faltar em uma coleção. Não pode nem deve pagar valor alto por ela, pois é somenta mais uma por aí.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s