Palmas para os invejosos!

Sem sombra de dúvidas o ser humano é propenso a falhas. Essas são devido a vários motivos clássicos estudados pelos doutores de formação e outros de filosofia “mesa-de-buteco”.

Essas são a ausência de conhecimento, cultura, percepção e oportunidades. Quando você é treinado a falha ocorre somente uma vez por desconhecimento: isso chamamos de erro. Na segunda, você que é crescidinho e alfabetizado e deveria ter aprendido, chamamos de violação. Ou seja: fez a burrada novamente, consciente.

Não conseguir atingir um objetivo traz os mais perversos sentimentos, incluindo a inveja. Ela pode ser consciente ou inconsciente, agressiva ou suave, prejudicial ou prejudicial. E como acontece? Por que acontece? Com quem acontece?

Incompetência: a pessoa sente inveja por não ter alcançado o objetivo determinado, ou ainda, o nível de acerto que o seu próximo atingiu. Pense bem: você estava apto à tarefa? Treinado para a mesma? É sua função? O alvo não era ambicioso demais?

Esse “peso” é complexo de mensurar e quase sempre não apresenta um resultado confiável. Se você tem um sonho de morar a beira da praia e seu salário é de R$2000,00 , das duas uma: ou desiste do sonho de comprar sua cobertura na zona sul ou então more numa praia semi-deserta em uma barraca.

Negligência: a pessoa inveja por não perceber como negligencia sua vida. Desperdiça dinheiro, suor, tempo, cabelos castanhos e saúde. Falta foco a essa pessoa em atingir os objetivos; pode também estar focada em tudo e em nada ao mesmo tempo; ou então tem aquela máxima: “não ligo pra dinheiro”. Mas ao você postar suas fotos de viagem, ele(a) olha com tanta raiva da praia de areias cristalinas que o monitor entra em curto-circuito!

“Se eu não sou feliz ninguém o será”: esse não deveria ter nascido. Faz pouco caso dos outros, não gosta de viver em sociedade, acha que só as coisas que faz ou tem são as melhores. Costumeiramente é arrogante (mal-humorado), olha de revesgués para você, e quando o cumprimento de bom dia sai, é entre os dentes. Pode até não falar abertamente seus descontentamentos, mas pensa sempre desta forma negativa.

Mesmo sendo bem-sucedido ou não na vida, nada dos outros é bom o suficiente. A cor do carro dos outros é feia, a praia é quente, a piscina é pequena, o churrasco é cru…

Indiferente: esse finge que nada aconteceu ao seu lado. Se passa por desatento mas sabe de tudo que acontece ao seu redor. Sua percepção é aguçada, a audição é afiadíssima, mas finge que nem é com ele(a). No seu silencio imagina como as coisas aconteceram com seu colega/amigo e tenta adivinhar o que ele não contou.

O indiferente sofre da “síndrome do ascensorista”: duas pessoas entram no elevador conversando sobre uma aquisição em andamento. O ascensorista ouve o papo atentamente e, ao chegar ao andar escolhido, estes dois distintos agradecem, saem do elevador e a conversa continua. Ou seja: o ascensorista ao recontar a história para alguém, inventa o início e o fim como bem desejar.

Qual conclusão que você poderia chegar?

A de que você não pode mostrar sua felicidade ou sucesso aos outros. Esconda-se numa caverna.

Anúncios

2 opiniões sobre “Palmas para os invejosos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s