Bike project

Se há uma coisa que tenho saudades de fazer no RJ que não faço em BH é andar de bicicleta. É um meio que tenho de me sentir livre, exercitar, alem de poder andar na contra mão da rua sem ser multado, nem reclamar de que ando na calçada com meu meio de locomoção.

Belo horizonte foi fundada em um região antes não habitada, chamada Curral D’el Rey. Montanhoso, alguns lugares você tem dificuldade até mesmo de subir à pé, com o tênis apropriado. Mas existe sim lugares planos e outros nem tanto, que demandam algum preparo físico.

Adoro carros como sabem, mas me irrita demais as buzinas, as fechadas e cruzamentos bloqueados por débeis mentais que não sabem lidar com as adversidades. Se não é a “Lei de Gerson” (ouvi dizer que ele se arrepende amargamente de ser o autor da frase: Quero levar vantagem em tudo), é a lei do “farinha pouca, meu pirão primeiro”. O transito de BH é muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito mais amigável que o do RJ, onde todos tentam te por o nariz de palhaço. E não tenho mais muita paciência para os  ixpertus” de plantão.

A bicicleta em questão é uma que minha sogra ganhou num bingo (seria um título ótimo de samba pro falecido Dicro), sendo depois empresatadas a pequenos animais destuidores de bicicletas. Recuperei-a do abandono, tirando-a do quartinho do bloco dela, passando pro meu bloco, junto da Peugeot (https://v8andvintage.wordpress.com/2011/09/01/uma-bicicleta-pode-ser-vintage/) e da Caloi Ceci. A marca é qualquer coisa inpronunciável. Marchas: 18 quando funcionam. Estilo mountain bike. Acho que pouca coisa vou aproveitar dela.

O meu maior problemas mesmo não é nem a inspiração nem o dinheiro, e sim onde deixar ela guardada. É incrível como fazem prédios no ano 2000 próximo ao centro de cidade que sequer há lugar adequado para guardar um bicicleta. No apartamento? No way, Beavis!!! Como guardar uma bike em um apartamento de 20m2?

O projeto em si baseia-se na mudança da cor (hoje verde rajado para algo em tom pastel), rodas com roletes e contrapedal, pneus de cidade (finos o suficiente para aguentar o meu peso), guidão tipo schwinn, punhos simples e talvez, marcha com passador vintage.

O valor disso tudo? Talvez passe o valor da bicicleta nova, fato que não me abala. Se você quer algo exclusivo, por que via se importar com o preço agora?

Quer se inpirar? visite:

http://www.fastboycycles.com/

http://www.tagandjuice.com.br/blog/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s