AKAI GXC-730d

Esse aparelho, como vários outros, foi adquirido em feira. Inicialmente fiquei apaixonado por ele, principalmente pelo seu estado geral. Como estava relutante em comprá-lo, adiei a aquisição por 1 mês. Como conhecia os pontos do feirante, combinei com ele de buscar em uma data mais apropriada.

Ao levar para casa, já sabendo que não funcionava, decidi abrir para ver como estava o seu interior: imaculado. Impressiona também a quantidade de fios que cruzam o interior desse aparelho (ver foto). Após levar o exemplar para o técnico, o mesmo realizou pequena intervenção que o fez retornar à ativa.

Basicamente foram os ajustes de fábrica, associado a troca de lâmpadas do sentido de fita e de um dos VU’s. Ao ouvir tocando, me assustei com o acionamento ruidoso do sistema. Ao acionar o play, parecia mais a partida de um elevador comercial do que um tape japonês (isso por estar acostumado com os Nakamichi).

Apesar dos ajustes, me pareceu um pouco limitado na reprodução de fitas gravadas por outros aparelhos. Até onde sei, isso está relacionado com o ajuste de bias. Mas quando gravando e reproduzindo suas próprias fitas, mesmo IEC Tipo I (normal), a qualidade é soberba, sendo que algumas vezes não parece reprodução de tape e sim CD.

O maior inconveniente desse aparelho são suas dimensões, fato que o torna preterido quando você não tem rack ou estante de dimensões generosas.

Anúncios