Estado-da-arte

A ciência estuda o apromoramento de materiais, técnicas e processos. A tecnologia adota tudo que a ciência trouxe. E o estado-da-arte?

Resume-se como estado-da-arte o refinamento da tecnologia, já que esta chegou ao seu limite. Por exemplo: um pistão tem o mesmo desenho a, pelo menos, 100 anos. A fabricação, fundido ou forjado, tem a mesma idade. Mas o estado-da-arte na fundição evolui constantemente. Fundir é fundir em qualquer lugar do mundo. Mas moldes com tolerâncias mais próximas, canais de alimentação que diminuem a incidencia de rechupe ou vazios, são considerados estado-da-arte. Um motor na década de 60, como o willys 2600cc, rendia 140hp pela SAE, mas adotando norma ABNT representa aproximadamente 125cv. O Focus 1600cc rende 103cv. A tecnologia mudou? Sim. Mas e o estado-da-arte? Também. Então como diferenciar um do outro? Vamos lá…

O Ford Focus adotava o motor ZETEC Rocam, que emprega elementos mais leves e resistentes. Seu comando de válvulas é roletado, isto é, possui mancais de rolamento, ao invés de mancais de atrito. É uma peça oca, portanto, mais leve. E isso não existia na década de 60. Existia sim, mas era somente adotado em competição. O estado-da-arte na fabricação e adoção deste componente tão especial permitiu que adotássemos em carros de rua sem prejuízo quanto à durabilidade. E ele é acionado por corrente, apesar de ser no cabeçote. Isso é também antigo! Aí, vem um colega seu e diz: “duvido que um Focus dure tanto como o meu Willys!”. E ele, se apostar, é bem provável que perca um bom dinheiro. Não esqueçam que a tecnologia na fabricação de novos aneis de segmento, dimensional de cilindro, novas ligas para mancais, acrescentou durabilidade e performance aos elementos. Um willys dura porque disponibiliza 48cv/litro, enquanto o Focus 64cv/litro. Envenene o motor do Willys para produzir a mesma eficiencia do Ford ( atingindo aproximadamente 167cv ) e veja a sua durabilidade.

Vocês já ouviram falar do Comando de Válvulas Desmodrômico? Foi inventado na década de 10 pela então fabrica de motos inglesa Norton. Adotado nas Ducatti, permite o motor girar uma barbaridade sem perder potencia por flutuação de válvulas. É por isso que é campeã nas categorias que compete. Quem quizer, procure literatura sobre motos antigas e verão que muita tecnologia adotada hoje exite à muito e o estado-da-arte refina o que já é bom.

Anúncios

Uma opinião sobre “Estado-da-arte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s