Pioneer SX-880: primeiras impressões e suas entranhas

Não há como negar que esses aparelhos da década de 70 foram excepcionais de qualidade sonora, de fabricação e acabamento. Acho esta geração a mais bonita de todas já feitas, donde vários hi-end atuais tentam imitar/reviver/copiar.

Não é um monster receiver, mas dentro da categoria belisca uma pontinha no ranking de potência aliada a qualidade. Já o pus para funcionar, filmar, desfrutar, em breve no meu canal do youtube.

Anúncios

Caixas Bravox: a historia perdida

Não é exclusividade do Brasileiro perder parte da historia para versões mal contadas, tendenciosas e frágeis no que tange aos fatos. Pouquissimas são as fábricas que ostentam um museu com seu nome: alegam que a estrutura muito cara e sequer tem um acervo digital para consulta à população.

A Bravox tem uma historia que pode ser parcialmente conhecida ao acessar o seu site, lugar que deveria ser referência para guarda da sua história. Infelizmente somos poucos os que querem isso. Muitos não sabem que há um museu da Gianninni e da Weril, antigos fabricantes de instrumentos musicais brasileiros, que habitaram por décadas apresentações dos inúmeros músicos brasileiros, fanfarras e orquestras.

Então o que sobra tem origem no nosso acervo tentando preservar alguma versão da história. Digo versão porque não sou o historiador oficial da marca nem pretendo ser. Como diz o ditado: “como o leão não sabe escrever, quem conta a história é o caçador”. Esta caixa que apresento aqui neste post é um dos modelos entre 12 listados no site audiorama (http://audiorama.com.br/bravox/) que fez o favor de pontuar alguns donde era possível arrancar algum histórico. Os dados técnicos estão lá descritos e devem ser consultados em caso de necessidade.

Felipe Miranda, amigo de longa data, curtição de férias, surfe e muitas noites em claro conversando, decidiu me vender este par que faziam parte do seu conjunto de som. Eu já tinha ouvido horas e horas de música em sua casa por meio delas, tocadas por um receiver Unimack UR-390 e um toca-discos Philips GA212. Muita orquestra, Frank Sinatra, Johnny Matthis e muitos standards passaram por esse conjunto. Quando mudou de mãos, a recuperação do cone do woofer de ambas as caixas era item obrigatório para poder extrair o potencial como planejava. Levei a um profissional para realizar tal tarefa em oficina situada numa sobreloja da Rua República do Líbano (que não lembro o número), onde na primeira vez o resultado não tinha sido positivo. A bobina raspava em um dos altofalantes e mandei refazer o par no mesmo lugar.

Quando me casei ganhei um móvel do meu irmão para acomodar meu som e tv, espaço suficiente para os meus sonhos e desejos. Desde então ambas as caixas ficaram acomodadas (embutidas) na estante, tocadas pelo amplificador Gradiente LAB 40 e midia vinda do DVD e do VHS.

Um hometheater simples mas limpinho…

Na mudança de apartamento decidi que não havia espaço suficiente para ter 2 pares de caixas vintage e teria de abrir mão da Bravox. O anúncio está sendo veiculado nos canais de venda mais conhecidos mas os interessados são poucos. Não pelo preço mas pela condição geral que as fotos não mostram com clareza. Tente achar uma caixa destas em bos condições…se existisse um museu, lá deveria estar.

Com o lento progresso do meu canal e ânsia em carregar conteúdo novo no youtube, senti que poderia e deveria melhorar a apresentação dos itens que tenho, não importando se para venda ou somente demonstração. Tenho certeza que posso subir o nível técnico dos vídeos, tanto em informações técnicas quanto nos recursos de mídia: fotos, legenda, efeitos (ou defeitos…) especiais com as ferramentas disponíveis no momento, de custo mais baixo possível.

Enquanto isso, vejam o vídeo das “primeiras” impressões de uma caixa que uso a 11 anos:

 

Mostrando a cara: ganhei um presente e não me serve. O que faço agora?

Gravei 2 videos com o tema, mas pequenas variantes: som e peça de carro. Não utilizei edição pois queria testar o carregamento em 4k (Ultra High Definition).

A minha GoPro até alcança essa resolução, mas o FPS (Frames per second) é somente 15, diminuindo muito a qualidade final.

Ao menos eu sei o resultado: não travou no computador de ninguém.

 

Mostrando a cara: definição e breve entendimento sobre qualidade, (QT#3)

Qualidade pode ser aplicado a tudo na sua vida…inclusive para determinar a sua própria qualidade de vida. Uma foto de qualidade, um filme de qualidade, um shopping center de qualidade, um biscoito de qualidade, etc., pode parecer um bicho-papão mas o conceito deveria ser entendido por todos para aplicar no dia a dia.

Entender e exigir deveria fazer parte da sociedade de uma região, pois mesmo aparentando ter um custo maior o benefício é percebido e todos que estão a sua volta desfrutarão dos resultados. Demanda qualificada (leia-se sociedade exigente) anseia por produtos e serviços de baixo custo e alta eficiência, que é conseguindo somente com conhecimento e comprometimento.

Não espero que todos entendam pois há uma categoria de pessoas que não se interessam pelo assunto, outras desistem no primeiro minuto e tem, por fim, aqueles que assistem o vídeo inteiro e acham que entenderam.

Você está em qual grupo?

 

Receiver Pioneer QX-646: primeiras impressões e suas entranhas

Aparelho com visual datado do início da década de 70 e em bom estado de conservação geral, é o meu aparelho principal para ouvir músicas na solidão de Angra dos Reis.

Instalei aquelas mesmas caixas Toshiba do meu sobrinho mostrado no meu post https://v8andvintage.wordpress.com/2015/01/26/meu-outro-setup/ com o mesmo receptor bluetooth da Philips, não me preocupando com a potência entregue pelo aparelho. Seus parcos watts de saída não comprometem a vida útil da pequena e valente caixa acústica.

Esse é o primeiro aparelho quadrifônico que uso, com os sistemas SD e QS disponíveis. Nos dias atuais não há lp com essa característica para venda novo por ser uma tecnologia obsoleta. Prometo um dia fazer teste com um DVD player e configurarei suas saidas com reprodução surround, descrevendo minha sensação e percepção.

No vídeo anexo publicado 17-novembro-2017 eu apresento as primeira impressões do aparelho e suas entranhas para aqueles que gostam e precisam ver o aparelho por dentro. É o similar a ver um motor aberto, sem cabeçote e sem cárter, com suas vísceras à mostra.

Mostrando a cara: Sinergia em equipamentos de audio (QA#2)

 

Sempre que vejo postado no facebook “Tenho o receiver XYZ e queria comprar as caixas RST. Vai ficar bom?”, fico com a resposta entalada na garganta. Quando tenho coragem escrevo:

 

“Experimente e nos diga depois!”

“Você é quem deve gostar ou não.”

“Pode ser, pode não ser também…”

“Depende.”

 

O meu vídeo tenta expor e analisar algumas das variáveis que influenciam na sinergia entre aparelhos. É só assistir.

Sony STR-6040: Primeiras impressões e suas entranhas

Demorei muito a pegar esse aparelho após a compra. Meu sobrinho comprou em Petrópolis e guardou-o em seu quarto para que quando viesse de carro para Niterói, juntassem em sua bagagem. Chegou me minhas mãos antes do passeio que havia prometido a ele pela cidade no Dodge, como mostrei no post (https://v8andvintage.wordpress.com/2017/10/23/um-papo-a-bordo-de-uma-nave/).

Os aparelhos Sony não são os meus preferidos e tenho motivos. Uso um MD e um DAT da marca, mas confesso que não sinto confiabilidade. Mesmo detentores de tecnologia e empresa com profundo conhecimento de mercado, percebo que constrói equipamentos um tanto frágeis em seus mecanismos. Mesmo não generalizando, tive igual impressão com vários outros que testei.

Os receiveres mais valiosos são os STR-V4/V5/V6, considerados Monster Receiver rivalizando com os seus conterrâneos Sansui, Kenwood e Pioneer. Alguns modelos que permeiam os classificados brasileiros como os STR-11BS, STR-12BS e o STR434 não são do meu agrado e tem alguns componentes difíceis de encontrar. Os 434 oferecidos quase sempre tem as saídas queimadas ou o FM inoperante; quando não são os 2 com problemas. No meu exemplar fabricado no início da década de 70, os valores de datasheet não são expressivos: 15Wrms e 1% de THD. Mesmo com aparência simpática, pretendo restaurá-lo e depois decidir se fica na coleção ou passarei adiante. Caso me agrade, retorna para a estante.

Equipamento com um acabamento acima da média, demanda uma restauração eletrônica completa e a recuperação do painel frontal. Gabinete com pouquíssimos pontos de oxidação, não é um tópico de preocupação. Definitivamente.